Militaria e Cutelaria reunidas em um só lugar.

MENU

Variedades

O Letal Calibre 22 LR - Não o subestime!

Ele é o calibre com o qual ocorrem mais acidentes

Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O calibre mais popular do mundo, o 22 LR carrega com si muitos mitos e histórias que permeiam a mente e a crendice popular. É muito mais do que comum ouvir comentários "é a "bala mais perigosa que existe", "a bala anda dentro do corpo", "a bala entra nas veias e/ou artérias e vai parar no coração", "a pessoa morre por hemorragia"... e por aí vai. Ora, qualquer projétil que atingir uma veia ou artéria causará hemorragia.

Deixando um pouco as crendices populares de lado, vamos ao que interessa. O calibre 22 LR mata uma pessoa? Sim, mata! O calibre 22 LR é bom para defesa pessoal? Não, não é. Essas duas perguntas e respostas as vezes pode gerar dúvidas na cabeça de quem não é familiarizado com armas e munições e vamos passar aqui algumas considerações.

1° - O calibre 22 LR é um calibre anêmico e possui um poder de parada muito baixo (Stopping power). É praticamente impossível parar um oponente que esteja muito próximo de você se o tiro não for "bem colocado" (entenda bem colocado como, "na cabeça"). Mesmo que a vítima  receba um tiro em um local vital que o levará a morte em pouco tempo, é possível que ele dispare contra você ou até mesmo, dependendo da distância que esteja do agressor lhe ataque, pricipalmente se estiver sob efeito de drogas. Existem relatos e vídeos disponíveis na internet onde pessoas que recebem vários disparos de armas com calibres muito mais eficazes simplesmente não são paralisados e continuam com seu intúito.

2º -  A munição calibre 22 LR é uma munição do tipo "Rimfire" e que normalmente ocorrem mais falhas que nas munições de fogo central (espoleta no centro da base do estojo). Aliado a isso tem o fato de que pessoas desavisadas, muitas vezes tem o hábito de disparar a arma vazia. Ocorre que, por ser a arma de fogo circular (rimfire) o percutor irá bater no cano ou tambor (depende do tipo da arma) e fará com que ele de desgaste ocorrendo então, falha da arma.

3º - A bala não "anda" e muito menos vai "entrar dentro das veias ou artérias e ir para no coração". O que ocorre é que o calibre 22 é um projétil muito pequeno e de difícil remoção, sendo muitas vezes nem retirado do corpo (quando não oferece risco de morte) pois os danos causados para sua retirada podem ser até maiores que os provocados pelo disparo.

 

 

Letalidade

A letalidade do calibre 22 é inquestionável. Ele é líder mundial em violência doméstica, acidentes, crime e suicídio, matando mais norte-americanos, por exemplo, do que qualquer outro cartucho.

Há muito tempo é o favorito de muitos assassinos, profisionais ou não. Richard Kuklinski, um assassino profissional da máfia italiana nos EUA, afirmou em seu livro "The Iceman" (homem de gelo) que uma de suas armas prediletas para cometer os assassinatos era um rifle de calibre 22, dentre vários métodos. Robert Kennedy, irmão do presidente assassinado Jonh Kennedy, quando era candidato a presidência em 1968 foi baleado com dois disparos na cabeça, no Ambassador Hotel em Los Angeles, onde comemorava os resultados das eleições da prévia do partido Democrata, dados por Sirhan Bishara Sirhan. Morreu no hospital Bom Samaritano de Los Angeles na manhã do dia seguinte. A arma utilizada, um revólver calibre 22LR Iver Johnson modelo Cadet 55-A de oito tiros. John Hinckley Jr. usou um revólver Röhm RG-14 calibre .22LR para tentar assassinar o então Presidente norte-americano Ronald Regan e ferir outras três pessoas.

Gerald Bull, um projetista de armas que estava trabalhando em um projeto de arma de longo alcance que permitiria que o Irã e/ou Israel fossem atacados pelo Iraque, suspostamente foi morto com uma Beretta mod. 71 em calibre 22 LR e adaptada para "full auto" (rajada) pelo Mossad. Gerald já tivera um apartamento destruido como advertência do que poderia lhe acontecer caso continuasse trabalhando na super arma, mas isso não surtiu efeito. Então em março de 1990 um assassino tocou a campanhinha e quando Gerald abriu a porta recebeu uma única rajada dos 8 tiros da Beretta. Também existe relatos que pistolas Beretta no mesmo modelo e calibre, também foram usadas para assassinar alguns dos autores intelectuais da morte dos atletas israelenses em Munique - Alemanha, pelos terroristas do "Setembro negro".

 

A queridinha do Mossad, Beretta modelo 71 com silenciador acoplado.

 

Assim como o Mossad, o Shin Bet (serviço de segurança interna de Israel) e as Forças Especiais Sayeret Matkal conhecem muito bem o potencial da Beretta 71 e o calibre 22LR. 

Da mesma forma que essas forças especiais, o mundo do crime também sabe das vantagens do pequeno e mortal calibre. Um baixo recuo e a explosão não irão sobrecarregar um novato assassino como um calibre maior; além do mais, o disparo do calibre 22 LR muitas vezes é até confundido com fogos de artifício. Em caso de necessidade, até uma garrafa plástica de refrigerante pode ser improviada como um silenciador aceitável.

Uma grande variedade de munições em calibre 22 existe disponível no mercado. Munições sub-sônicas, velocidade padrão, alta velocidade e até hyper (ou ultra) velocidade e com projéteis que pode variar de 20 a 60 grains. (Veja aqui um comparativo entre munições calibre 22 LR).

 

Crédito: africahunting.com

 

Só à título de curiosidade, numa rápida busca no Google pelo termo "morto por calibre 22" pode-se ter uma noção da quantidade de homicídios que ocorrem usando esse calibre. Até o Policial Federal, conhecido na internet como "hipster da Federal" foi morto por uma espingarda de chumbinho modificada para calibre 22 e com um único disparo.

Para finalizar, vale relembrar que calibre 22 LR não é bom para defesa pessoal, mas ele mata. Portanto, não o subestime.

 

 

Comentários:

Publicidade
Publicidade

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!